sábado, 13 de abril de 2024

Menopausa Não é o Fim: Especialistas e Grazi Massafera Derrubam Mitos Sobre Sexo na Maturidade



Recentemente, Grazi Massafera, aos 41 anos, trouxe à tona um tema quente durante uma entrevista: sua vida sexual vibrante e a aproximação da menopausa. Em uma conversa franca no podcast da Foquinha, a atriz declarou que sua libido está "lá em cima" e expressou o desejo de aproveitar sua sexualidade ao máximo antes de entrar na menopausa. Essa declaração não só quebrou tabus, mas também destacou uma preocupação comum entre muitas mulheres sobre o impacto da menopausa no desejo sexual.

A ginecologista Rayssa Carvalho Teodoro, do Hospital Maternidade Brasília, esclarece que a menopausa não significa o fim da vida sexual das mulheres. Segundo ela, a libido feminina opera num modelo circular complexo que se mantém ativo mesmo durante a menopausa. "É crucial que as mulheres entendam que o desejo sexual pode continuar e até prosperar durante essa fase, com o suporte correto, como a reposição hormonal quando necessário", explica a doutora.

Além disso, Rayssa enfatiza a importância da comunicação entre parceiros e o fortalecimento das preliminares, garantindo que a intimidade continue sendo uma experiência segura e satisfatória.

Intrigantemente, um estudo da University College London revela que manter uma atividade sexual regular pode atenuar os sintomas da menopausa. As mulheres que fazem sexo semanalmente têm 28% menos chances de sentir os efeitos negativos desta fase, comparadas às que têm menor frequência sexual.

Este diálogo aberto sobre a sexualidade feminina na menopausa, apoiado por Grazi e especialistas, é um passo essencial para desmistificar e melhorar a qualidade de vida sexual das mulheres maduras.


Fonte: University College London

segunda-feira, 8 de abril de 2024

Tenho que dar conta em todas as situações da minha vida?



Já se perguntou por que às vezes sentimos que precisamos lidar com tudo? Muitos de nós acreditam na ideia de que devemos estar sempre prontos para enfrentar qualquer desafio, seja em casa, no trabalho ou na escola. Mas, na verdade, essa expectativa de estar sempre no nosso melhor não é realista. Até as máquinas precisam de pausas para manutenção, então por que nós, seres humanos, pensaríamos que somos diferentes?

Nossa vida é semelhante às estações do ano. Temos momentos de alegria e calor, como o verão, e outros que nos pedem para renovar nossas energias, assim como o outono faz com as árvores. Também enfrentamos períodos difíceis e frios, que podem ser comparados ao inverno, mas sempre há a chance de renovação e beleza, como na primavera. Cada fase traz suas próprias lições e importâncias.

Infelizmente, muitas pessoas estão adoecendo porque assumem mais responsabilidades do que podem lidar. A pressão para nunca parar, nunca errar e sempre produzir pode levar a problemas sérios como ansiedade, depressão e a síndrome de burnout. Ignorar os sinais de que precisamos descansar só piora as coisas.

É importante entender que não precisamos estar sempre em pleno funcionamento. Dar uma pausa, como tomar um café e espairecer, pode ser mais benéfico do que insistir em uma tarefa frustrante. Saber quando parar e recarregar é crucial. Não precisamos nos forçar a florescer ou frutificar fora do nosso tempo. Cada coisa tem seu momento certo, dependendo das circunstâncias.

Além disso, lembre-se de que você não está sozinho. Familiares, amigos e colegas de trabalho podem oferecer suporte emocional importante. E se sentir que o período difícil está durando muito, pode ser hora de procurar ajuda profissional, como um psicólogo. Lembre-se também da importância de cuidar de si mesmo, inclusive cuidando da sua pele com protetor solar!


#PsiAlessanderCapalbo

Agende hoje mesmo a sua sessão: 61 - 99500-0200 ou 61 - 2017-4939

Sessão a Valor Social

domingo, 7 de abril de 2024

Cuidado dos os remédios para toda vida



Entre 2018 e 2022, o consumo do psicoestimulante dimesilato de lisdexanfetamina, componente do Venvanse, utilizados no tratamento de TDAH, disparou de 618 mil para 1,4 milhão de caixas, segundo o Sindusfarma. Este aumento reflete o uso amplo em áreas de intensa atividade empresarial, particularmente entre executivos e estudantes que buscam maior produtividade e foco.


Especialistas têm alertado para as repercussões negativas do consumo desregrado desses medicamentos. Marcelo Kyrillos, cirurgião dentista, observa um crescimento nos casos de bruxismo e erosão dentária entre usuários, principalmente executivos. Relata-se, ainda, um aumento em diagnósticos de dores crônicas e problemas na musculatura de mastigação e na articulação temporomandibular (ATM), ligados à utilização indevida dos estimulantes.

O neurocirurgião Wanderley Cerqueira, do Hospital Israelita Albert Einstein, vincula diretamente o bruxismo ao uso inadequado de psicoestimulantes. Esse comportamento, influenciado pelo sono de baixa qualidade e tensão muscular, leva a erosões dentárias e dores articulares e cervicais. Raphael Soares, executivo e usuário anterior de Venvanse sem diagnóstico de TDAH, compartilha sua experiência de aumento de ansiedade e sintomas físicos adversos, como dores tensionais e boca seca, desencadeados pelo medicamento.

Para remediar os danos, tratamentos de desprogramação neuromuscular em consultórios odontológicos visam aliviar as tensões faciais e cervicais, além de melhorar a qualidade do sono e a respiração nasal. Kyrillos sublinha a importância deste tratamento, integrado ao sistema Estomatognático, responsável pelas funções de mastigação, fala e deglutição. No entanto, ele ressalta que sem a cessação do uso irresponsável dos estimulantes, os tratamentos podem não alcançar a eficácia desejada.
Este cenário destaca a urgente necessidade de conscientização sobre os riscos associados ao uso não prescrito de psicoestimulantes e a importância de acompanhamento médico para evitar consequências graves à saúde.


#PsiAlessanderCapalbo

Agende hoje mesmo a sua sessão: 61 - 99500-0200 ou 61 - 2017-4939

Sessão a Valor Social

sexta-feira, 5 de abril de 2024

Deslizes Verbais ou Atos Falhos? Desvendando o Inconsciente



Já se viu trocando nomes ou utilizando uma palavra no lugar de outra, de forma inadvertida? Em nossa vida diária, tais deslizes podem ser vistos como simples equívocos ou falhas, momentos de distração que acontecem "por acaso". No entanto, sob a lente da psicanálise, esses aparentes erros assumem uma significação mais ampla, sendo reconhecidos como deslizes verbais. Comumente alvo de brincadeiras no dia a dia, quando alguém comete uma gafe ao falar, a verdade é que esses atos carregam em si uma profundidade maior.

A psicanálise, com suas raízes fincadas na noção do inconsciente e suas manifestações, identifica nos deslizes verbais (ou parapraxias) a expressão de desejos e conteúdos que residem fora do alcance da consciência, manifestando-se por meio de falhas na fala, leitura, escrita, lapsos de memória ou até atos comportamentais inadvertidos.
Sigmund Freud foi pioneiro ao apontar que o inconsciente se faz notar por esses desvios aparentemente triviais, sugerindo que esses erros, longe de serem aleatórios ou insignificantes, encerram significados que clamam por interpretação.

Tais eventos são vistos como tentativas que ao mesmo tempo falham e acertam: são interpretados como erros apenas porque o conteúdo inconsciente que os impulsiona permanece oculto à consciência. Seguindo esta linha de pensamento, um ato não é verdadeiramente falho se consegue expressar um desejo inconsciente. O psicanalista francês Jacques Lacan expressou esse fenômeno de forma eloquente: “As palavras que tropeçam, de fato, confessam; elas desvelam uma realidade escondida.” Assim, os deslizes verbais não são meros acidentes de percurso, mas janelas para o entendimento profundo de nossos desejos e conflitos internos, oferecendo pistas valiosas para a compreensão do funcionamento da mente humana.


Psicólogo e Psicanalista Alessander Capalbo


Agende hoje mesmo sua sessão:

Fone e WhatsApp: 61 - 99500-0200

#psicanalise
#psicanáliseclínica
#mentehumana
#inconsciente
#comportamento
#terapia
#autoconhecimento
#saudemental
#terapiaonline
#terapiafazbem
#clinicapsicanalitica
#psi
#estudospsicanaliticos
#psicanalisefreudiana
#façaterapia
#falarfazbem
#ocorpofala
#atendimentopsicanalitico
#estudospsicanaliticos
#atofalho
#psi

quinta-feira, 4 de abril de 2024

Mais uma Conquista - Especialização em Psicologia Hospitalar



Estou extremamente feliz em concluir mais uma etapa da minha jornada acadêmica: a especialização em Gerontologia. Ontem, finalizei com êxito um ano de estudos intensivos na área de Psicologia Hospitalar e Psicologia em Cuidados Paliativos. Essa experiência tem sido incrivelmente enriquecedora, permitindo-me aprimorar minhas habilidades no atendimento, especialmente voltado para o público idoso e para todos aqueles que enfrentam momentos difíceis em suas vidas. Através de uma abordagem acolhedora e empática, tenho a oportunidade de oferecer suporte e orientação para que cada pessoa possa ressignificar os desafios enfrentados, principalmente durante períodos de doença e reflexão sobre a vida. Estou ansioso para aplicar todo o conhecimento adquirido e continuar contribuindo de forma significativa para o bem-estar e o conforto daqueles que atendo.


Psicólogo e Psicanalista Alessander Capalbo


#PsiAlessanderCapalbo
#PsicologiaClínica
#PsicanáliseClinica
#AtendimentoOnline
#atendimentopresencial
#terapiadecasal

Agende hoje mesmo sua sessão:

Fone e WhatsApp: 61 - 33691716 ou Fone: 61 - 99500-0200

domingo, 31 de março de 2024

Os três momentos da Vida (uma reflexão pessoal)


O texto proposto apresenta uma reflexão poética e profunda sobre a jornada humana, dividindo-a em três momentos cruciais que, juntos, tecem o tapete complexo da existência. Essa abordagem permite uma análise filosófica e psicológica sobre a natureza cíclica e escolhas que definem nossa vida.

I. A Vida Pensada: Reflexão e Consciência

O primeiro momento, a vida pensada, refere-se à capacidade humana de introspecção e reflexão. Neste estágio, somos convidados a olhar para dentro, a contemplar nossos pensamentos, sonhos e medos. É um momento de autoconsciência, onde o indivíduo se debruça sobre suas próprias experiências, aprendizados e os significados que atribui à sua existência. Na psicologia, essa capacidade de reflexão é fundamental para o desenvolvimento da autoconsciência, um passo essencial para o crescimento pessoal e a saúde mental. A vida pensada é, portanto, um convite à introspecção, um mergulho nos recônditos de nossa mente para entender quem somos e o que valorizamos.


II. A Vida para Entender: A Busca por Significado

O segundo momento, a vida para entender, alude à incessante busca humana por significado e compreensão. Este é o período em que buscamos respostas para as grandes questões da vida, tentando decifrar o enigma da nossa existência. Aqui, a jornada é externa, voltada para o mundo ao redor, buscando entender nossa relação com o universo, com os outros e com nós mesmos. A filosofia e a psicologia se entrelaçam neste momento, ambas realidades explorando as profundezas da condição humana, procurando desvendar os mistérios que nos cercam. A vida para entender é marcada por uma busca incessante de conhecimento, sabedoria e clareza.


III. A Vida para Inventar e Escolher: Autonomia e Criação

Finalmente, o terceiro momento, a vida para inventar e escolher, destaca a consciência humana, a capacidade de tomar decisões e moldar nosso próprio caminho. Este é o momento da criação, onde somos os autores de nossa própria história, livres para inventar e escolher os caminhos que desejamos seguir. Na psicanálise, a ênfase na autonomia do indivíduo e na capacidade de fazer escolhas conscientes é fundamental para o desenvolvimento de uma identidade saudável e um senso de propósito na vida. A vida para inventar e escolher é um convite à ação, um chamado para que assumamos o controle de nossa narrativa e criemos uma existência que reflita nossos valores mais profundos.

A Companhia na Jornada

Entrelaçada a esses três momentos está a presença de um "você", sugerindo que a jornada da vida, embora profundamente pessoal, é também compartilhada. Acompanhados nessa viagem, encontramos conforto, amor e uma sensação de pertencimento que enriquece nossa existência. Acompanhar e ser acompanhado na exploração desses três momentos da vida é, possivelmente, o mais belo dos encontros humanos, pois é na companhia de outros que encontramos espelhos para nossa própria alma.

A reflexão evoca a beleza da vida em sua complexidade, celebrando os diversos estágios de nossa existência e a interconexão entre pensamento, compreensão, escolha e relacionamento. É um lembrete poético de que, sob a noite estrelada de nossas vidas, há infinitas possibilidades à espera de serem descobertas, compreendidas, inventadas e escolhidas.


Psi. Alessander Capalbo

Reflexão pessoal - 31/03/2024

quinta-feira, 28 de março de 2024

O cigarro pode afetar a vida íntima do casal?


Fumar cigarro não afeta apenas o corpo, mas também a mente e a vida sexual dos homens. Psicologicamente, pode ser uma forma de lidar com o estresse e a ansiedade, criando uma dependência que esconde problemas emocionais. A nicotina nos cigarros muda o cérebro, podendo causar problemas de humor, irritabilidade e até depressão.


Na vida sexual, fumar também tem impactos negativos. Pode levar a dificuldades de ereção, porque o tabaco estreita os vasos sanguíneos necessários para uma boa ereção. Além disso, fumar pode diminuir a produção de testosterona, o que afeta não só o desejo sexual, mas também a autoconfiança e a autoestima.

Quando ocorre disfunção erétil, não é apenas um problema físico, mas também emocional, levando a sentimentos de frustração e até depressão. A terapia pode ajudar a explorar as razões por trás disso, ajudando a lidar com traumas e conflitos internos que podem estar ligados ao problema sexual.

Portanto, é importante entender que fumar não prejudica apenas o corpo, mas também a mente e a vida sexual. Procurar ajuda profissional não apenas para parar de fumar, mas também para entender e lidar com questões emocionais subjacentes, é essencial para restaurar não apenas a função erétil, mas também a saúde mental e a autoimagem do homem.

Psicólogo e Psicanalista Alessander Capalbo


#PsiAlessanderCapalbo
#PsicologiaClínica
#PsicanáliseClinica
#AtendimentoOnline
#atendimentopresencial
#terapiadecasal

Agende hoje mesmo sua sessão:

Fone e WhatsApp: 61 - 99500-0200


Menopausa Não é o Fim: Especialistas e Grazi Massafera Derrubam Mitos Sobre Sexo na Maturidade

Recentemente, Grazi Massafera, aos 41 anos, trouxe à tona um tema quente durante uma entrevista: sua vida sexual vibrante e a aproximação da...